Diocese de Garanhuns


Pastoral da Comunicação promoveu evento com Evagelizadores
A PASCOM da Diocese de Garanhuns e os agentes da Pascom de diversas Paróquias da Diocese realizaram no Seminário São José em Garanhuns, no sdias 21 e 22 de maio, um estudo sobre o papel da Comunicação Pastoral na Igreja. Ministrado pela Ir. Elide Maria Fogolari, Coordenadora da Pascom da Arquidiocese de Recife e Olinda. Na solenidade da Santissima Trindade, Dom Paulo presidiu a missa de encerramnto do encontro dos comunicadores pastorais. na ocasiao, foi elaborado um projeto de Comunicação Pastoral para Diocese que será apresentado ao clero, como fruto deste primeiro encontro....
Leia mais
Dom Murilo Krieger apresenta “Orientações para a Pastoral do Dízimo”
Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Murilo Sebastião Krieger, falou durante coletiva de imprensa, na quarta-feira, 13, sobre as “Orientações para a Pastoral do Dízimo”, um dos assuntos abordados na 54ª Assembleia Geral da entidade, que acontece em Aparecida, desde o dia 6 de abril.  Segundo dom Murilo, o texto, que ainda não está pronto, nasceu de uma preocupação do regional Nordeste 3 da CNBB. De acordo com o bispo, a Pastoral do Dízimo tem, hoje, só um documento que foi escrito há 40 anos e por isso surgiu a necessidade de propor um novo. “O assunto foi levado para o Conselho Permanente que achou tão interessante que pediu para que eu apresentasse na Assembleia de dois anos atrás. A partir daí cada grupo pôde fazer sugestões. Nós acolhemos essas propostas, estudamos e preparamos essas orientações que mandamos para os bispos que, por sua vez, enviaram contribuições, cerca de 320, e refizemos o texto”, explicou. O arcebispo disse ainda que o texto foi apresentado nesta 54ª Assembleia e está recebendo novas contribuições, que posteriormente passarão aos cuidados do Conselho Permanente para uma avaliação final para, então, ser colocado a serviço da Igreja. “São orientações para a Pastoral do Dízimo, não são diretrizes que todas as dioceses obrigatoriamente devem executar. Por que isso? Porque a gente percebe que cada vez mais a forma de sustentação da Igreja deve ser realmente a partir da contribuição do fiel, uma contribuição que tem um embasamento bíblico lá desde o Antigo Testamento. As orientações partem da compreensão do dízimo com fundamentação”, acrescenta. Dom Murilo afirma ainda que o documento traz orientações práticas, de implantação, de organização. “Sem dúvidas o documento vai ser muito orientativo para todas as dioceses, são cerca de 18 páginas”, finaliza. Fonte: CNBB...
Leia mais