Diocese de Garanhuns


Por uma cultura do trabalho decente, justa e solidária. Dom Roberto F. Paz, Bispo de
Ao celebrarmos o dia dos trabalhadores evocando a luta heróica pela jornada das 8 horas acontecida em Chicago,  no 1º de maio de 1886 , quando por um atentado simulado, a justiça executou 4 operários condenados sem o devido processo legal; nos deparamos que conquistas alcançadas com o suor e sangue de irmãos do povo simples e trabalhador estão a perigo de desaparecer.  Nunca se viu desde 1943 quando se consolidou a legislação que protege e tutela os direitos do trabalho, um ataque tão virulento e sistemático, que com a promessa de uma flexibilização  que poderia ampliar os postos de trabalho, se impõe sem escrúpulos a agenda neoliberal, do fim da segurança, empregabilidade e os princípios mais claros da justiça trabalhista qual sejam: a prioridade do trabalho sobre o capital, a irrenunciabilidade dos direitos sociais, e a tutela do mais fraco diante da desigualdade imposta pelo dinheiro.   Criam-se as figuras do trabalho intermitente, part time, horista, terceirizado, sem vínculos nem proteção, deixando a negociação por si dessimétrica a cargo do consenso das partes. Quebra-se o pacto social e civilizatório que mantinha um marco regulatório que servia ao bem comum,  uma vez que colocava limites a torpe ganância e ao lucro predador.  A doutrina social da Igreja pensada a partir do Evangelho é como sempre inequívoca,  é clara nas suas opções e princípios: o trabalho deve ter um salário digno que permita sustentar a família e ter aceso a propriedade, participação nos rendimentos e nas decisões, lembrando o destino universal dos bens e a função social que hipoteca e onera todo empreendimento financeiro e econômico. É verdadeiramente míope trazer de volta o capitalismo selvagem, pois  se reduz o mercado interno e se inviabiliza o verdadeiro desenvolvimento humano, integral, solidário e sustentável.  As reformas que estão em pauta não são um salto para o futuro, mas um regresso aos piores tempos da exploração quando o "exército de reserva dos desempregados" baixava os salários e as condições do trabalho, ao nível cruel da sobrevivência e da total precariedade. A competitividade destrutiva e predatória não promove pessoas e não gera uma civilização do trabalho responsável, eficiente e verdadeiramente criativa. Deus seja louvado!   ...
Leia mais
Obra das Vocações sacerdotais é retomada nas paróquias da diocese
Dom Paulo Jackson, lança a Obra das Vocações Sacerdotais em toda a Diocese de Garanhuns. Seu desejo é de que todos os diocesanos sejam benfeitores dessa Obra. Na Catedral um grande número de voluntários foram enviados por nosso Bispo para serem animadores em nossa Paróquia, formando equipes de oração e manutenção para os futuros sacerdotes de nossa quase centenária Diocese. ...
Leia mais



XIII Aniversário do Santuário da Mãe Rainha
Via Sacra ao Cristo do Magano
Missa dos Santos Óleos
Celebração Eucarística da Diocese de Garanhuns no dia de São José